terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

Fatima Marques na revista da Adaljiza Cuan


Currículo Artístico: FATIMA MARQUES

Fatima Marques nasceu em São Paulo (SP) em 1956 e desde 2005 tem participado de Exposições Coletivas pelo Brasil e exterior, com inúmeras premiações em sua categoria. Participa e divulga seu trabalho através de Galerias no Brasil e Europa e tem suas obras catalogadas em publicações de arte no Brasil, EUA e Europa.

Ficha Biográfica
Nome Artístico: Fatima Marques
Data e Local de Nascimento:  1956 - São Paulo/SP-Brasil
Formação Acadêmica: Administração de Empresas (FEA-USP)-1978
Estilo Artístico: Figurativo Realista Contemporâneo
Técnica utilizada:  Óleo sobre tela


“Fatima Marques traz em seu trabalho a marca de uma aguda sensibilidade artística, que dá vida e energia as suas figuras atemporais, numa sábia relação entre o clássico e o contemporâneo. É antes de mais nada uma artista com um domínio natural de técnicas como pouco visto hoje. Seu trabalho também está intrinsicamente associado ao sentir, na busca de uma linguagem pessoal e de um eixo temático afinado com sua sensibilidade feminina.
É uma artista da técnica com emoção”.(Mali Frota Villas Bôas-historiadora e crítica de arte)

“Fatima Marques revela em suas obras a grandiosidade de sua arte, bela, detalhada e primorosa e ao mesmo tempo de inspiração marcadamente poética. A artista deixa-se influenciar tanto pelos pintores renascentistas quanto pelos contemporâneos, embora na busca de um estilo sofisticado e de técnica apurada. A intenção decorativa em sua obra não a
impede de limitar seus requintes estéticos deixando sobressair o calor humano de uma forma viva, espontânea e concisa... (Emanuel von Lauenstein Massarani - Crítico de arte e presidente do IPH Instituto de Recuperação do Patrimônio Histórico no Estado de São Paulo)

Expôs seus trabalhos em Paris /França ( Société Nationale des Beaux Arts de Paris- 2012), em New York/EUA ( Sede da ONU- 2013) e na Itália ( Milão -2011; Padova e Tívoli- 2016; Roma - 2018).
Apresentou sua primeira Exposição Individual “ Metáforas de Sentimentos” ( ago. /2017) em São Paulo, na Galeria Spazio Surreale e participou , em jan./2018, da XII Biennale d´Arte Internazionale di Roma , tendo sido premiada com o 2º lugar da Bienal – categoria Pintura.




Principais Exposições :
*Biennale d´Arte Internazionale di Roma- Sale del Bramante- Roma/Itália- 2018 – Prêmio 2º lugar Pintura
*Exposição Individual “ Metáforas de Sentimentos”- Galeria Spazio Surreale-São Paulo/SP- 2017
*Exposição Coletiva na ALESP ( Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo- Premio 1º lugar- 2017
*27ª Mostra de Mercato d`Arte Moderna e Contemporânea di Pádova – Itália – 2016, tendo sido selecionada a participar
  do Art Talent Show
*Premio Villa d`Este ( 1º lugar pintura) - Collettiva Artisti Brasiliani – Tívoli – Roma /Itália - 2016
*Exposição Coletiva  “ 2º Salão de Outono da América Latina - 2014” – Memorial da América Latina-
  Galeria Marta Traba – São Paulo/SP´Brasil - 2014
*Exposição Coletiva “ Contemporary Brazil & Baroque Roots” – sede ONU – New York /USA- 2013
*Exposição Coletiva “Société  Nationale des Beaux Arts –Paris”-Carroussel Du Louvre Paris- 2012
*Exposição Coletiva  “Candido Portinari –vida e obra”- SABINA -Centro do Saber e Conhecimento  da
  Prefeitura Sto. André/SP-2012;
*Mostra D´Arte  Contemporânea “São Paulo/Milano -Cittá Sorelle”-Milão/Itália-2011;
*Salão Internacional “Luso Brasileiro Artes 2011”-Casa de Portugal-São Paulo/SP-2011;
*Salão Arte Contemporânea “Arte Agosto”-Galeria Mali Villas-Bôas-São Paulo/SP-2011;
*Exposição Coletiva de Arte Contemporânea da Galeria Mali Villas-Bôas clube Pinheiros-São Paulo/SP-2011;
*Salão de Artes Plásticas da ABACH clube Paineiras-São Paulo/SP-2011;
*Salão “Consciência do Meio Ambiente”-inauguração do Espaço Cultural do Palácio do
  Buriti Brasília/DF – 2011(obra catalogada);
*Mostra “Águas de Março”-Centro Cultural Martha Watt-Piracicaba/SP-2011;
*VI Salão de Verão–Galeria Mali Villas-Bôas-São Paulo/SP-2011;
*VIII Salão Meio Ambiente Forte de Copacabana-Rio Janeiro/RJ-2011;
*III Salão de Artes Plásticas de S. José do Rio Preto/SP-2010 ;
*III Salão Nacional de Artes ADESG Rio de Janeiro/RJ-2010
*Salão de Artes Plásticas da AASA -São Paulo/SP-2005;
*IX Salão Bienal de Artes Plásticas de Santo Amaro no Clube Paineiras do Morumbi –São
  Paulo/SP-2005

Principais Prêmios Recebidos:
* Prêmio 2º lugal Categoria Pintura na Biennale D´Arte Internazionale di Roma/Itália com a obra “ Venise dans les rêves”
* Medalha de Ouro /Premio 1ª lugar , com a obra “ Rêves Urbains”- Exposição coletiva – Assembléia Legislativa do Estado
   de São Paulo - 2017
* Medalha de Ouro com a obra “ La photographe des Ilussions – Exposição Villa D´Este- Tívoli - Roma/Itália- nov. 2016
*Medalha de Prata” com a obra “F...comme femme” do Anuário Brasileiro de Artes
   Plásticas –Editora Roma-volume X-nov.2011
*Medalha de Ouro (obras catalogadas: “Demain será trop tard”-2011  e  “Contemplação”-
  2009) no 2° Salão Nacional de Artes Saber Cultural - Rio Janeiro/RJ-2011;
*Medalha de Prata  (obra catalogada : “ O Mar cria Ilusões...”-2010) no 8° Salão da ABMA-
  Forte Copacabana,Rio Janeiro/RJ- 2011;
*Medalha de Prata com a obra “Ave Maria”-2005 no IX Salão Bienal Artes Plásticas AASA–São Paulo/SP- 2005;
*Medalha de Bronze  com a obra “ Ao Desabrochar”- 2005 no XVI Salão Artes Plásticas AASA-São Paulo/SP-2005

Participação em Publicações:
*Catálogo XII Biennale D´Arte Internazionale di Roma – jan./18
*Catálogo Mostra Mercato di Arte Contemporanea- Contemporary Art Talent Show- Padova Fiere-
  Nov./ 2016;
*Mondial Art Academia- Académiciens 2015
*Catálogo 2º Salão de Outono da América Latina-São Paulo/SP  maio 2014
*Catálogo Société Nacionale des Beaux Arts Paris - 2012
*Catálogo de Artistas 2012 e 2011 da Galeria de Arte Mali Villas-Bôas-São Paulo/SP;
*Anuário Brasileiro de Artes Plásticas Consulte-Vol.X-Editora Roma/Brasil-nov.2011;
*International Contemporary Artists vol. III - NY/EUA-nov.2011
*Leonardo – Guía de Arte y artistas – 2012 – Espanha
*Elite Magazine- 2012 e 2017- Brasil

Contato:
famarques_29@hotmail.com

(55-11) 98144-6028     

quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

Evaldo Oliveira na Revista Estrelas que Brilham



Evaldo Oliveira Evaldo Santos Oliveira A sua relação com a arte começou cedo, na década de 70, aos 11 anos de idade, foi agraciado com prêmio em um concurso promovido pelo SESI-Serviço Social da Industria no meu estado, Piauí, em Teresina, capital e daí continuou. Filho de um Tenente do Exército, Manoel Jose de Oliveira e a Senhora Maria de Lourdes dos Santos Oliveira, tendo 11 irmãos onde cada um seguiu carreiras diferentes, mas a arte sempre teve presente e em diferentes linguagens com a música, as artes visuais. Quando criança observava seu pai em uma oficina que funcionava nos fundos de sua casa no centro de Teresina, desenhando peças miniaturas de objetos com automóveis, moveis , brinquedos e fica fascinado com a habilidade do pai e ai pegava um pequeno caderno de anotações e ia rabiscando desenhos de superes heróis das revistas em quadrinho nas décadas de 70,80 e no final da década de 82 prestou vestibular para o curso de licenciatura em Educação Artística na Universidade Federal do Piauí, tendo entre seus professores Afrânio Pessoa( pintor), Dalva Santana dentre outros. Hoje é professor da UFPI no curso de Artes Visuais. Natural de Teresina – Piauí, Brasil, Evaldo Santos Oliveira é atualmente Professor da Universidade Federal do Piauí onde exerce o cargo de Chefe do DEA-Departamento de Artes ,coordenador dos cursos de Artes Visuais e Musica pelo PARFOR-UFPI- Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica, Pós Graduado em Gerontologia Social e Historia da Arte e Arquitetura ,atuou como professor em instituições de ensino Fundamental, Médio e Superior tanto em instituições públicas e privadas desde 1983, dentre as quais UESPI-Universidade Estadual do Piauí, ICF-Instituto Camillo Filho, Aespi, Fapi etc, em diversos cursos: Turismo, Belas Artes, Artes Visuais, Saúde Mental, Arquitetura e Urbanismo entre outros, em Teresina e outros municípios. Membro do coletivo UAPPI- União dos Artistas Plásticos do Piauí, Participou de várias exposições tanto individuais e coletivas em Teresina, no estado do Piauí, fora do estado. Expos uma individual intitulada “EVALDO OLIVEIRA”, em Teresina, galeria do Teatro 4 de Setembro, em 1988, depois vieram várias exposições e salões com premiações: Exposição Coletiva Caixa Econômica Federal de Artistas Piauienses – 1989 Exposição no Painel de Contemporânea de Brasília representando o Piauí( Nordeste II)-1994 Expos nos Salões do Município de Teresina, II, V, VI , VII,X,XIII, XIX, desde 1996 (com premiações na categoria PINTURA) Exposição Arte Erótica Saliências II-2012 Exposição na Biblioteca Central Carlos Castelo Branco-UFPI- “Evaldo Oliveira- CORPO HIBRIDO DIGITAL), 2014. · Exposição- BASTA CELEBRAR-SIENA Galeria-2015 · Exposição-PROPOSITURAS-PROPOSITORES-2015 no I ENFORUFPI. · Exposição LINHAS , Ateliê JOSEFINA GONÇALVES-2016. · Exposição do I SEMINARIO DE ARTE E CULTURA: O CORPO COMO DESENCADEADOR DA EXPRESSÃO ESTÉTICA E ARTISTICA-2017 EM FLORIANO · Exposição ARTE & VINHO na MONTMARTRE, setembro de 2017. OUTRAS EXPERIENCIAS · Participou da primeira coletiva da Caixa Econômica Federal do Piauí de artistas piauienses-1989 · Organizou a II Exposição dos trabalhos dos pacientes do Hospital *Areolino de Abreu com o título “A GRANDE ARTE” - 1992. · Participou da organização da Exposição de pintura dos pacientes do HOSPITAL AREOLINO DE ABREU “A SUTIL ARTE BRUTA” - 1994. · Atuou no Programa de Terceira Idade e Ação / P. TIA. Da Universidade Federal do Piauí, 2001/2002. *Hospital Psiquiátrico do estado Piauí, em Teresina Evaldo Santos Oliveira, ESO: o corpo híbrido sob formulação plástica digital O tema do corpo tem sido explorado de diversas formas e cores, desde as primeiras manifestações artísticas do alvorecer da humanidade. A despeito do exposto, ainda se constitui tema relevante, nestas primeiras décadas do segundo milênio. O conjunto das proposições de Evaldo Santos Oliveira – ESO - trata de um trabalho híbrido, fronteiriço, nele, a linha, a qual é característica marcante do desenho, alia-se à mancha de cor, que é característica da pintura. Dito de outro modo, o trabalho de Evaldo é um desenho-pintura digital, no qual ele substitui materiais, suportes e instrumentos tradicionais pela caneta e mesa digitais. Nesse sentido, o propositor ao aliar a arte ao tecnológico, trabalha com a cor-luz, amplia a paleta ao tempo em que atualiza o desenho e a pintura, formuladores do seu trabalho e aponta para o corpo além da pura técnica, coloca-o deste modo, inscrito no cotidiano, em busca da emancipação da construção da proposta e do olhar. Nas produções de ESO, os corpos são apresentados, em geral, bidimensional mente, a despeito de, alguns casos, algumas propostas conterem características de relevo mais ou menos pronunciado, como consequência de superposições e de gradações tonais aplicadas nas superfícies. Em geral, no entanto, é que o espaço é bidimensional, com isto, o professor-artista formula espaço plano. Como a configuração dos suportes, da maioria dos trabalhos, é quadrangular, os lados se equivalem e, este fato contribui para a redução do movimento visual e, com ele o fluir do tempo. Nessa linha, ao procedermos rápida leitura, logo percebemos a sinalização para a simultaneidade espaço-temporal. Sob essa óptica, o corpo propositado do leitor/interator vivencia a simultaneidade em um “agora” que, segundo Gleiser (2014), todas as experienciações do corpo representadas na proposição do trabalho artístico são presentificadas na ilusão extremamente convincente do “agora”. O corpo, tema predileto de ESO, nasce do encontro serendiptico da habilidade de com a linha, a harmonia das cores, com as quais lida cotidianamente no exercício da docência do desenho e da pintura. A harmonia ocorre por analogia e também pelo contraste. O calor do Nordeste se mescla ao calor do erotismo dos corpos. Tais corpos são encontrados em múltiplas formas, haja vista, que vão do figurativo expressionista ao informalismo orgânico. O corpo figurativo expressionista formulado por Evaldo é articulado, forte, construído a partir de curvas e contra-curvas. O tema do corpo é recidivante na produção artística do professor-artista Evaldo. Sob esta temática, a intelectualidade da linha associa-se à sensualidade das cores e à forte carga erótica que caracteriza o seu trabalho. A ação intelectual se une à emoção e ao gesto. Tão importante quanto a veia erótica é a simplificação formal, estilizada e lúdica que vários trabalhos apresentam. Assim, do ponto de vista plástico, as formas evaldianas são construídas na hibridez limítrofe de linhas e de cores. A linha nem sempre é escura, por vezes, assume cores e tons claros. A linha fluida e ágil, ora formula áreas abertas, ora áreas fechadas e também texturas. As cores, em geral, vivas, embora haja alguns com a predominância de tenebrismos. A vivacidade colorística dita o clima da proposta artística, amarelos, azuis, vermelhos são bastante encontradas, na maioria dos trabalhos de ESO. Diante desse caleidoscópio estético, formal, estilístico e poético, a mesa digital transforma-se em palimpsesto no exercício frenético da busca da expressão do singular em varredura arqueológica, enveredando na busca real de si, através da dança com a caneta/pincel. Profª. Drª. Pollyanna Coêlho evaldo@ufpi.edu.br 

quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Silvio Santorini divulgado por Adaljiza Cuan

É muito especial poder falar sobre o meu inicio na pintura. Tudo começou entre os meus 13 e 15 anos de idade, nesse período, eu fazia desenhos figurativos: carros; casas; arvores e pássaros. Contudo, vez outra, eu gostava de fazer alguns traços e formas usando movimentos aleatórios rápidos, em seguida, procurava um método para fazer possíveis conexões entre os traços, as formas e figuras geométricas, tudo com intuito de obter uma soma agradável ao esboço em seu todo.
Ao completar 15 anos, me sentir bem mais inclinado por essa forma de desenho, o resultado disso foi que, aproximadamente, três meses depois, pintei a primeira tela, a qual dei o nome de"Fantim", após esse feito recebi alguns elogios mas continuei a pintar me valendo muito mais da técnica que estava descobrindo e que me motivava com entusiasmo.
No tocante aquilo que me inspira, posso dizer que, tanto uso as ideias de umas artes imaginarias que dá asas ao meu subconsciente, quando uso a racionalização, que depende da analise intelectual. Por outro lado, também sigo o viés da desconstrução de algumas imagens figurativas e às projeto de forma representativa, sem falar em duas formas de abstrato que já experienciei: O enrugado e o microscópico. Também não posso deixar de mencionar que, ao procurar saber mais sobre pintura fiquei fascinado com as obras de "Klee, Miró e Kandinsky ", Naquele momento parecia esta havendo uma comunicação familiar entre eu e aquelas pinturas. A partir disso, tive apenas uma certeza, de que aquilo que eu pintava não era meramente hobby. Dessa comunicação psicoartistica me pus a estudar atentamente as obras desses mestres, como resultado ampliou bem mais os meus horizontes de inspiração ao divisar um mundo imenso de subjetividade em forma de artes se projetando em minha mente.

Bom! Em regra, a maioria dos Artistas Plásticos tem o sonho de vivenciarem o reconhecimento por suas obras, comigo não é diferente, me permito dizer que preciso tão somente de 5% de inspiração, 95% de transpiração, fé em papai do céu e a atenção de pessoas do bem, essas como a ilustre amiga Marquesa Adaljiza Cuan 
















 

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Revista Estrelas que Brilham e Artista Plástico Rogério Tezin





Adaljiza- nos conte como descobriu sua vocação?
Rogerio- Minha vocação começou no início da minha vida.
A vocação para pintar a óleo,  aconteceu através de um filme que assisti do Amadeo Modiligini. Fiquei muito sensível assistindo o filme,  no dia seguinte comecei a pintar.  Não parei mais....
Adaljiza-e des do inicio suas obras já eram neste estilo?
Rogério Santos Tezin-Sim Adaljiza!  Comecei a criar e finalizar as telas.
Gosto muito de criar. Esse é meu perfil. Tudo se cria e nada se copia.
Adaljiza -são lindos seus trabalhos, meus parabéns ,nos conte sempre usou tinta a óleo?
Rogério Santos Tezin-Sim sempre,  tinta a óleo. Gosto de cheiro!
Sou apaixonado pela tinta óleo.
Adaljiza-pelo seu estilo surreal vejo muitas mensagens, você batiza suas telas com nomes?
Rogério Santos Tezin-Sim batizo sim com nomes
Adaljiza-sua primeira amostra de artes, como se sentiu perante o publico?
Rogério Santos Tezin- Me senti o cara mais milionário da terra, foram tantos elogios.
Fiz um movimento de arte na Av Paulista. Galeria Urbana!
Adaljiza- nos conte  seus planos?
Rogério Santos Tezin- Meu plano é arrumar um Marchand para cuidar da minha carreira. 
 Viajar o mundo divulgando minha arte, Estudar, fazer novos cursos lá fora, minha visão é aprender a cada dia.
Adaljiza-de onde tira suas ideias para a criação de suas obras?
A criação vem do Papai do Céu. Ele emana as imagens. Finalizo fazendo no papel sulfite.
Prático a meditação que ajuda muito a receber as imagens.
Quero deixar bem claro, Deus foi muito bom comigo dando esse dom da pintura. Amo a pintura!  Está no meu DNA. Agora esperar o Universo.... Nada é por acaso!
Adaljiza-Em meu nome e da Revista agradeço esta matéria caro artista


Rogério Santos Tezin- Obrigado amiga de luz, Agora esperar o Universo.... Nada é por acaso!